Dia-a-dia Educação
Mapas
  EducadoresAlunosEscolaComunidade
   

Um pouco da história dos Mapas
A arte de traçar mapas começou com os gregos que, no século VI a C., devido a expedições militares e de navegação, criaram o principal centro de conhecimento geográfico do mundo ocidental. O mais antigo mapa foi confeccionado na Suméria, em uma pequena tábua de argila e representa um Estado. As representações de uma área incluíam sobreposições de diversas informações, como por exemplo, símbolos e cores.
A cartografia que data da pré-história, visava delimitar territórios de caça e pesca. Na Babilônia, os mapas do mundo eram impressos em madeira, num disco liso, mas foram Eratosthenes de Cirene e Hiparco (século III a C.) que construíram as bases da moderna cartografia usando um globo como forma e um sistema de longitudes e latitudes. Ptolomeu desenhava mapas em papel, com o mundo dentro de um círculo e foi imitado na maioria dos mapas feitos até a Idade Média. Na era dos descobrimentos, os dados coletados durante as viagens tornaram os mapas mais exatos.
Atualmente, com a fotogrametria e o sensoriamento remoto (imagens por satélite), consegue-se ótima precisão. Com a ajuda de computadores mais informações podem ser visualizadas e analisadas pelos geógrafos, o que sinaliza um grande avanço na cartografia.

A Terra
A forma verdadeira da Terra é o geóide, que é a superfície delimitada pelo nível médio dos mares através dos continentes (achatada nos pólos).
Para expressarmos a posição de pontos sobre esta superfície, utilizamos dos conceitos de linhas astronômicas e fusos horários.
O globo terrestre é cortado por linhas imaginárias que têm a função de localizar qualquer ponto em sua superfície. Para isso, determinam-se as coordenadas geográficas, a latitude e a longitude, com base nos princípios do círculo trigométrico. As coordenadas geográficas são determinadas a partir dos paralelos e os meridianos.
O paralelo 0º é a linha imaginária traçada na parte mais larga da Terra. Ele é o Equador e divide a Terra em dois hemisférios Norte e Sul:
· O Equador corresponde ao círculo máximo, perpendicular ao eixo terrestre, o que determina a divisão do globo em dois hemisférios (do grego hemi, “metade” , e sphaera, “esfera”): Norte e Sul.
· A latitude é a distância, em graus, de um ponto qualquer da superfície terrestre ao Equador, variando de 0 a 90ºN ou de 0 a 90º S


Os meridianos são linhas imaginárias que dão a volta na Terra, passando pelos dois pólos. Todos os meridianos têm a mesma medida, já os paralelos são ao contrário, dão a volta na Terra.
· O meridiano 0º ou de referência – que passa pelo observatório astronômico de Greenwich, uma cidade vizinha a Londres – divide a Terra nos hemisférios ocidental (O) e oriental (L).
· A longitude é a distância, em graus, de qualquer ponto da superfície terrestre ao meridiano de Greenwich, variando de 0 a 180º para leste ou para oeste.
A precisão da localização é dada em graus, minutos e segundos de latitude e de longitude.
As outras linhas imaginárias são os trópicos e os círculos polares que servem de limites para as zonas da Terra, que influenciam na insolação ou luminosidade solar. São elas
· Trópico de Câncer: localizado a 23º27’ de latitude norte.
· Trópico de Capricórnio: localizado a 23º27’ de latitude sul.
· Círculo polar Ártico: localizado a 66º33’ de latitude norte.
· Círculo polar Antártico: localizado a 66º33’ de latitude sul.
Em decorrência do movimento de rotação temos os dias e as noites, além da diferença de horário entre os diversos pontos longitudinais da esfera terrestre.
Ao dividirmos os 360 graus da esfera terrestre pelas 24 horas de duração do movimento de rotação, o resultado é 15 graus. A cada 15 graus que a Terra gira, passa-se uma hora. Assim, cada uma das 24 divisões da Terra corresponde a um fuso horário.
Para determinarmos a diferença de horário entre duas localidades, basta sabermos a distância longitudinal entre elas e dividi-la por 15, que é a medida de cada fuso.


O que é um mapa?
O termo "mapa refere-se a um objeto de uso constante na vida do ser humano. Em termos gerais, podemos definir mapa como a representação no plano dos aspectos geográficos, naturais e artificiais da Terra.
Para se construir ou ler um mapa necessitamos conhecer alguns conceitos:
· Escala: para se representar a superfície da Terra sobre uma folha de papel é necessário uma redução nas dimensões. A relação entre o comprimento gráfico no papel e o natural, denomina-se escala.
· Sistema de Projeção Cartográfica: os sistemas de projeções possibilitam a representação da superfície curva da Terra em um plano. Existem vários sistemas de projeções e cada um deles se aplica finalidade especifica de cada mapa. Cabe ao cartógrafo determinar a projeção mais adequada
· Convenções cartográficas: para representar os elementos do terreno são utilizados símbolos padronizados que permitem certo grau de entendimento da informação contida no mapa por qualquer pessoa.

Para cada caso usa-se um tipo de mapa com referências específicas. E seu processo de elaboração é a partir de um trabalho reflexivo, pois seus traçados, assim como a indicação de seus pontos mais significativos mostram o caminho que une diferentes setores, países, estados e municípios.
Os mapas Mundi, do Brasil e do Paraná, representam relevos, vegetações, hidrografias, climas, populações entre outros dados.

Conhecendo o Paraná
O território representado nos mapas é uma unidade social, em transformação. Por isso sua intensidade histórica. A história regional do Paraná tem um tratamento diferente. Neste contexto, é necessário enfatizar os pontos citados a seguir.

Pontos Extremos e Posição Astronômica do Paraná:

NORTE – está a cachoeira de Saran Grande (no rio Paranapanema – Jardim Olinda) nas coordenadas geográficas de 22º 30’ 58” de latitude sul (S) e 52º 06’ 47” de longitude oeste (W) do Meridiano de Greenwich.

SUL – está a cabeceira do rio Jangada (na serra do Taquaral Verde - General Carneiro) nas coordenadas geográficas 26º 43’ 00” de latitude sul (S) e 51º 24’ 35”de longitude oeste (W) o Meridiano de Greenwich.

LESTE – está a foz do rio Ararapira (Guaraqueçaba), nas coordenadas geográficas 25º 19’ 17”de latitude sul (S) e 48º 05’ 37” de longitude oeste (W) do Meridiano de Greenwich.

OESTE – está o Porto Palacim na confluência do rio Iguaçu com o Paraná (Foz do Iguaçu) entre as coordenadas geográficas 25º 27’ 16” de latitude sul (S) e 54º 37’ 08” de longitude oeste (W) do Meridiano de Greenwich.

Limites -
2.414 km de fronteiras terrestres, das quais 1.913 km de fronteiras interestaduais, 50 km de fronteiras internacionais e 98 km de fronteiras marítimas, delimitando-se ao norte e nordeste com o Estado de São Paulo; a noroeste com o Estado de Mato Grosso do Sul; ao oeste com a República do Paraguai; a sudoeste com a República da Argentina; ao sul e sudeste com o Estado de Santa Catarina e a leste com o Oceano Atlântico.

Outras Informações:
199.727,2741 km² de área – 2,34% do território nacional.
Possui quase a totalidade de suas terras na zona extratropical.
Está situado no 2º fuso – horário brasileiro.
Tem uma rede hidrográfica presidida por regime pluvial subtropical bem regular.
Apresenta um quadro climático-botânico bastante diversificado.
Coordenada geográfica – Trópico de Capricórnio, 23º 30’ de latitude ao sul da Linha do Equador.
Dimensões – de Norte a Sul – 468 km.
Dimensões - de Leste a Oeste – 674 km.


Copyright © 2003 - Portal Educacional do Estado do Paraná
Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar