EducadoresAlunosEscolaComunidade
 
 
Departamento de Educação Especial (DEE) é responsável pela proposta de educação especial nas áreas mental, visual, física, surdez, condutas típicas e superdotação. Responde por ações orientadas de prevenção, identificação e avaliação diagnóstica, atendimento educacional e terapêutico. Promove a interação familiar e comunitária, inclusão educacional e social dos portadores dos diversos tipos de deficiências.
Em todo o Estado do Paraná, são atendidos 53.883 alunos, em 282 municípios. Em 45 municípios não há atendimentos e, 117 deles, não existem escolas especiais. Na rede Regular de Ensino são 19.540 atendimentos (dados de 2002), um total de 36,26% do total da DEE. Na rede conveniada, 350 instituições, são 34.343 os atendimentos especializados. As escolas especiais contam com 5.058 professores.

Atendimento Especializado
A Classe Especial é um serviço especializado, em escola de ensino regular, para alunos que apresentam casos graves de deficiência mental ou múltipla. É realizado um trabalho pedagógico específico e individualizado em 200 dias letivos e 800 horas aula/ano. O máximo é de 10 alunos por classe. Os professores são habilitados ou especializados na área de Deficiência Mental. Cada sala de aula conta com equipamentos e recursos pedagógicos adequados às necessidades educacionais especiais dos alunos atendidos. Para ingressar nas classes especiais, os alunos, a partir de 0 ano, são avaliados por professores especializados, equipe técnico-pedagógica e equipe multidisciplinar. Os alunos recebem avaliação contínua, tendo acompanhamento constante do desenvolvimento educacional.

 

 

 

 

 


QUEM É A PESSOA COM DEFICIÊNCIA FÍSICA?
O deficiente físico tem características individuais, é diferente em alguns aspectos, mas se iguala em outros, principalmente nos seus direitos como cidadão. É capaz de desenvolver suas competências, habilidades e autonomia no aprender, como qualquer outro, desde que sejam propiciadas as condições necessárias, eliminando as barreiras que o impedem de exercer sua cidadania.
Deficiente físico é também a pessoa que possui algum tipo de paralisia, limitação do aparelho locomotor, amputação, má formação congênita ou qualquer tipo de problema que interfira em sua locomoção, coordenação e fala.

Saiba mais sobre:
Quais os tipos de deficiência física
Como conviver com as diferenças
Como é feito o seu atendimento educacional
Onde buscar apoio

VOCÊ SABE O QUE É UM SUPERDOTADO?
São crianças, jovens e adultos que apresentam desempenho acima da média ou potencialidade elevada em determinadas questões do dia-a-dia, de forma isolada ou combinada, tais como capacidade intelectual, aptidão acadêmica, pensamento criador, capacidade de liderança, talento especial para artes plásticas, cênicas e musicais e habilidades psicomotoras.
Saiba mais sobre:
Que sinais indicam que estamos diante de um superdotado
Sobre as crenças e mitos relacionadas à superdotação
Onde procurar o Atendimento Educacional
Onde buscar apoio

COMO RECONHECER UM DEFICIENTE MENTAL
É a pessoa que apresenta desempenho intelectual significativamente abaixo da média, a ponto de justificar e requerer a modificação das práticas educacionais no sentido de desenvolver ao máximo suas potencialidades.

Saiba mais sobre:
Como reconhecer a deficiência mental
Como relacionar-se com um deficiente mental
Como obter atendimento educacional
Onde buscar apoio

DEFICIÊNCIA VISUAL NÃO É NECESSARIAMENTE CEGUEIRA
Podemos perceber que todas as pessoas são diferentes. Algumas são altas, outras magras, usam óculos, outras não conseguem enxergar.
A pessoa com deficiência visual é aquela que tem baixa visão ou é cega.
A pessoa cega percebe o mundo através dos outros sentidos, como o tato, a audição, o paladar e o olfato. Todos esses sentidos possibilitam que as sensações do mundo cheguem a ela de outra forma.

Saiba mais sobre:
Quais os sinais que podem indicar uma perda visual
Como conviver com a pessoa com deficiência visual
Sobre o Atendimento Educacional
Onde buscar apoio

VEJA COMO CLASSIFICAR A SURDEZ
Surdez é a diminuição na percepção dos sons. A perda auditiva pode variar de leve a profunda, ou seja, o indivíduo pode ouvir com dificuldade ou não ouvir som algum. As pessoas surdas costumam se comunicar usando a língua de sinais.
Essa língua envolve o uso das mãos, da expressão facial e corporal.
Alguns surdos podem também aprender o português oral e/ou escrito, desde que recebam atendimento especializado.

Saiba mais sobre:
Os sinais que podem indicar perda auditiva
Como facilitar a comunicação com a pessoa surda
Curiosidades interessantes sobre a Língua de Sinais
O Atendimento educacional
O que vale ressaltar sobre este tema

Onde buscar apoio

 

 

Copyright © 2003 - Portal Educacional do Estado do Paraná
Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar